quarta-feira, 25 de janeiro de 2023

Tão perto e tão longe


Lisboeta de gema. Apenas a cerca de 250 km em linha reta da minha cidade natal, passeio pelas ruas enquanto me desloco do carro ao meu local de destino.
Este passeio acontece sempre que tenho de ir ao centro de Ovar ou ao centro de Santa Maria da Feira.
Fossemos todos nós ter mais tempo para passear, todos os centros de cidades deveriam ser fechados ao trânsito. Assim conseguiríamos apreciar melhor cada local.
Sem intenção, abrandamos o nosso ritmo diário.
Lá arranjei esse tempo, porque tinha mesmo de ir ao centro, e dei por mim a pensar no contraste que existe nas montras destas duas cidades durante o mês de janeiro.

Ovar prepara-se para o fabuloso, e tão querido pelos vareiros, Carnaval. Tem uma Aldeia do Carnaval e todos os locais se preparam para receber esta grande festa de folia, alegria, cor, música e dança. É, portanto, a fotografia da direita.

Santa Maria da Feira vive durante todo o mês a Festa das Fogaceiras, momento solene, branco e de rigor no traje, com cerimónias, procissões, missas e fogaças, em honra de um mártir (São Sebastião) associado à peste negra. É, como se pode ver, a fotografia da esquerda.

Acho curioso como duas cidades tão pertinho uma da outra, ambas capital de município, podem ser tão diferentes na forma de ser e estar. O dia a dia é diferente. Os vareiros vivem à sua maneira e os feirenses à sua.

Para quem vem de fora, como eu, ver esta diversidade diverte-me ao mesmo tempo que me deixa um desafio diário de encontrar o local certo onde fazer as "minhas coisas", visto ser eu de um terceito lugar, também ele com uma cultura muito própria.

Fica o convite para visitarem estas belas cidades. Para a Festa das Fogeceiras terá de ser para o próximo ano dia 20 de janeiro, mas para o Carnaval de Ovar ainda vão a tempo.

Boas viagens culturais!

 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2023

5 fatores para uma atividade Open School

 


Um novo ano, um novo empenho, ou melhor, a continuidade de um projeto.
Há quem chame projeto. Eu chamo forma de vida, profissão, missão, vocação.
Todos os meses de janeiro costumo refletir sobre o ano que passou e sobre o local onde estou no momento.
Se não estou onde quero, faço as alterações necessárias, mesmo que isso implique decisões a longo prazo, visto que na minha profissão funcionamos por anos letivos e as grandes mudanças são em agosto/setembro.
Então, no meu caso agora, estou onde quero, mas consigo ir mais além.
Continuo a frequentar os MOOC's da European Schoolnet Academy, continuo a colaborar com a Scientix e Ministério da Educação português como Embaixadora Scientix, continuo a ser professora em Centros de Estudos e online, e continuo a ser gestora de profissionais de auxílio em trabalhos académicos e outros trabalhos especializados.
O que muda?
Tudo!
Ao continuar os MOOC's, ponho-me constantemente à prova, fora da minha zona de conforto.
Este infográfico surge como resultado de uma reflexão sobre os fatores que influenciam uma atividade de Open School. Se pretenderem saber mais sobre o tema, convido a espreitar o curso completo e até frequentar: Make it Open Schoooling.
Sobre a continuidade do projeto que falei no início, apenas convido a ver o "nanomicro" vídeo que dá um "pequenísssimo" vislumbre sobre o mesmo: TD Global STEAM.


Bons projetos!

terça-feira, 15 de novembro de 2022

Nature-Based Solutions



Mais um excelente episódio da Scientix, onde professores de muitos lugares falam com professores de todo o lado.
Desta vez é sobre a utilização de planos de sessão baseados em Nature-Based Solutions, ou seja, resolver questões da atualidade através de soluções com recursos naturais, sem prejuízo para o ambiente.
Aproveito e partilho o meu plano de sessão realizado no âmbito de um MOOC da European Schoolnet Academy sobre o mesmo tema: FAÇA O DOWNLOAD AQUI.

Boas lições!

terça-feira, 18 de outubro de 2022

O Espaço vai à Escola 2022

 


E é gratuito!
Desde o pré-escolar ao ensino secundário, os professores só têm qu ir ao site: https://www.esero.pt/espaco-vai-a-escola/informacoes?.
Escolher a palestra qeu pretendem na sua sala de aula e agendar.
A importância de trazer a realidade para a sala de aula, na impossibilidade de irmos a todos os locais que seria pertinente irmos com os alunos, é gigantesca.
Temos a sorte de ter esta disponibilidade de levar a ciência em tempo real a té nós.

Boas palestras!

domingo, 16 de outubro de 2022

Tradução de recursos STEM

 

Scinetix resources

Scientix, a comunidade para o ensino das ciências na Europa, é esse o nome do que vos pretendo apresentar. E o site é: Home - Scientix.
Quase 3000 recursos, desde materiais de sala, planos de sessão, áudios e outros relacionados com o ensino das STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática)
Como os autores destes recursos são de todas as partes do globo, há recursos que estão traduzidos para 37 idiomas, incluindo português.
Para que haja ainda mais traduções para português, está agora a decorrer uma campanha para que cada um de nós vote no recurso, ou nos recursos, que gostaríamos de ver traduzidos.

Com as opções de pesquisa avançada, conseguimos definir as idades com que pretendemos trabalhar, a disciplina que queremos abordar e o tipo de recurso que pretendemos utilizar.

Boa viagem por este repositório imenso de materiais de qualidade em STEM!




quarta-feira, 5 de outubro de 2022

Pensamento Computacional

Pensamento computacional

Nestes últimos dois sábados participei pela primeira vez no encontro Matemática Com Vida da Universidade de Aveiro, desta vez com o tema Diferentes olhares sobre o Pensamento Computacional.

Todos os workshops, sessões plenárias e painel podem ficar a ser conhecidos na página PROGRAMA, clicando em cada uma das expressões sublinhadas.

Mas o que pretendo mesmo partilhar são as ferramentas que experimentamos, tanto online como presencialmente, que penso ser uma mais-valia para qualquer prática pedagógica, não só de Matemática como de todas as outras disciplinas. Deixo aqui apenas os exemplos que praticamos:

Excel - trabalhamos as probabilidades

Scratch - trabalhamos a construção de diálogos

Micro.bit - trabalhamos as alterações climáticas

TanIn - observamos a construção de padrões e sequências em pré-escolar

Mentimeter - trabalhamos as perguntas de resposta curta e sua análise

Padlet - trabalhamos a receção de materiais do professor e a entrega e partilha de trabalhos de grupo e individual

Sólidos RA - trabalhamos os sólidos geométricos, suas propriedades e regra de Euler

Fica então o desafio de uma exploração mais adaptada a cada contexto, a cada turma e disciplina.

Bons pensamentos computacionais!

quinta-feira, 8 de setembro de 2022

Europa aos 18 anos

Se eu aos 18 anos tivesse este bilhete... 

Teria poupado uns trocos!

Em vez de ir a Lichinga e ao Kosovo apenas após os 25 anos de idade, teria feito outras opções que me levariam a outros destinos.

Se essas opções seriam melhores ou não... sabe-se lá! Nunca sabemos sobre aquilo que não vivemos.

O que sei é que agora em adulta conheço dois jovens adultos com 18 anos acabadinhos de fazer que têm estes bilhetes na mão, neste caso na aplicação do telemóvel. São 7 vezes 24h de comboio para utilizar durante um mês, por toda a Europa.

Interrail Europa


E que orgulho tenho deles por pensar à frente para viver o futuro da melhor forma, tendo já a certeza de que só depende deles próprios e das opções que fazem, e não das opções que alguém faz por eles.

Com eles fiquei a saber que não há desculpa para não viajar. Com eles fiquei a saber que as portas da Europa estão abertas a qualquer jovem adulto de qualquer aldeia da terra mais escondida de Portugal.

Para quem é?

Pessoas com 18 anos com nacionalidade dos países que pertencem à União Europeia, o que é o caso de Portugal.

Como conseguir o bilhete?

Aconselho a visitar o site da União Europeia: https://europa.eu/youth/discovereu_pt.

A partir daí seguir as instruções, de preferência com os amigos, caso não queira viajar sozinho.

Claro que também pode ir sozinho, e com certeza que encontrará mais jovens na mesma situação e rapidamente novas amizades surgem.

Para além da viagem

A escola da vida... 

Se aos 18 anos, antes de entrar para a faculdade, se conseguir ver o mundo para além do nosso próprio retângulo, as oportunidades como adulto serão imensas.

Ficamos a perceber melhor como funciona o intercâmbio entre países e a própria União Europeia, o que nos traz vantagens competitivas no mercado de trabalho, e que nenhuma faculdade ensina.

A autonomia para viver como cidadão ativo é superior a quem não vive este tipo de experiências, e que a faculdade não consegue ensinar, apenas exigir.

Ganhamos vocabulário prático em vários idiomas, o que facilita a escolha de locais de estudo e trabalho futuros, e que  normalmente só se consegue com investimento em cursos de línguas pagos.

E mais uma imensidão de aspetos que caberá a cada um descobrir conforme os interesses que desvendar ao longo dos quilómetros de comboio pela Europa, das cidades que conhecer, das pessoas com quem conviver.

A mim resta-me desejar que os jovens adultos que comigo convivem consigam dar este clique no site https://europa.eu/youth/discovereu_pt e começar a viver.

Boas vivências!