segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

No mundo da Lua



Daqui de onde eu estou, só vejo nevoeiro.

Sendo uma eterna sonhadora, pensam, com frequência e sem coragem de o admitir, que eu vivo no mundo da Lua.

É nestes dias, em dias de nevoeiro, que eu tenho a sensação, quase certeza, que se eu estou no mundo da Lua, há muitos que vivem numa Terra tóxica, cheia de poluição da pior, onde reinam os pensamentos egoístas e sobre o próprio umbigo.

Aqui da Lua, parece que esse mundo não leva a lado nenhum. Mas parece que só eu é que vejo…

Depois, chega o Natal, e todos compram presentes caros para todos, sem emoção nem longevidade.
Aqui da Lua, quando vejo pessoas a abraçarem-se, tudo me parece mais agradável do que quando vejo embrulhos caros a serem abertos por alguém que não abraça quem deu.

Em dias de sol, vejo que não sou a única no mundo da Lua, não estou sozinha nesta forma de viver.
Afinal não é tão errado assim.

O que tem de errado gostar do que se faz, mesmo que se ganhe menos?
O que tem de errado gostar de brincar com as crianças que me rodeiam?
O que tem de errado pensar menos em mim e mais nos outros?
O que tem de errado conversar com adolescentes como se fosse um?
O que tem de errado ensinar os mais velhos?
O que tem de errado apenas parar quando estou realmente cansada?
O que tem de errado errar de vez em quando?
Cada vez menos são os dias de sol… Cada vez mais são os dias de nevoeiro…

Se morrer, morro a chorar, não por ter vivido no mundo da Lua mas por pena de não ter conhecido mais gente de lá…

Boas festas pela Terra!

Sem comentários:

Publicar um comentário