segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Parar, antes de andar


Sim, tal como ensinamos aos mais novos, para atravessar a estrada é preciso primeiro parar. Depois olhar para os dois lados. Depois, se não vier nenhum veículo, aí sim, avançar com calma mas com confiança de que vai atravessar em segurança até onde escolheu ir: para o outro lado da estrada.
Este ensinamento é para tudo na vida.
No Niassa, em 2011, parei.
Olhei para todos os lados da minha vida, deliniei um plano e avancei. Continuo a avançar, com a confiança de que estou segura pois a escolha foi pensada.
Mas a vida não é uma simples estrada que atravessamos...
Há tantos obstáculos que não conhecemos nem imaginamos que existem...
Quando os encontramos podemos saltar por cima deles, derrubá-los, empurrá-los, destruí-los.
Mas será essa a solução a longo prazo?
Eu opto parar.
Paro e analiso bem o obstáculo. Escolho as soluções ideiais para seguir o meu caminho e estar preparada para outro obstáculo semelhante.
O que ganho em parar tantas vezes?
Poupo a minha energia...
Não me desgasto cada vez que algo mau me acontece.
Apenas vivo e saboreio.
Disse-me um miúdo o outro dia que eu pareço mais velha porque já tenho cabelos brancos à vista.
Nada sei sobre cabelos e porque ficam brancos.
Apenas não os pinto. Não irei escondê-los porque gosto deles.
Será que estou velha? É do stress que me desgasta?
Já conheci o meu pai com cabelos brancos.
Adoro-os por isso.
Lá está, saboreio a vida.
Paro, escuto e olho, todos e tudo o que me rodeia.
Deixo o melhor de mim onde passo mas também tento colher o melhor que conseguir desta vida, e isso não é material. É preciso parar.

Boas paragens!

Veja o álbum No Niassa de férias.
Se pretende adquirir o livro envie email para abrantes-sonia@gmail.com.

Sem comentários:

Publicar um comentário