domingo, 21 de janeiro de 2018

Perspetiva dos outros


Eu, como fazendo parte de "outros", assisti ao primeiro programa no domingo passado.
Fi-lo pois é a minha área de trabalho, não sendo eu psicóloga.
Fi-lo pois em conversa com pais no Centro Educativo e de Formação Espaço Crescer me referiram que iriam assistir ao programa pois têm crianças difíceis em casa e esperavam aprender muito.
Pessoalmente, chorei nos primeiros 10 minutos do programa.
Porquê? Nem sei...
Porque me chocou a forma como aquela mãe estava a falar e a agir com a filha.
Porque nem imagino o que vai na cabeça da mãe e em que estado estará a sua saúde mental para tornar público o seu desespero. Recriminá-la por isso? Hum...
Depois o meu pensamento passou para a psicóloga, apenas pensando "Está a meter-se na boca do lobo. Vai ter consequências..."
Depois, todo o desenrolar do programa é apenas a prática daquela profissional com base no seu ponto de vista, que é tão válido como outro qualquer. Recriminá-la por isso? Hum...
No dia seguinte, foi o BOOM! E o meu pensamento foi para a SIC.
Lá inteligentes e estrategas eles são... Conseguiram toda a atenção. As consequências negativas serão quase nulas, mesmo que o programa acabe rápido.
Os outros..., onde eu estou incluída, só espero que não façam vida negra à mãe, à avó e à criança. Espero mesmo que as ajudem em vez de ocuparem o seu tempo e gastarem as suas energias a apontar o dedo.
Os mais próximos delas, será que agora perceberam que algo não estava bem?
Não digo que nos metamos na vida uns dos outros mas por vezes ajuda olhar um bocado para a esquerda e para a direita e dar uma mãozinha quando necessário.
Mas, até este campo é sensível, pois a ajuda pode não ser bem vista.
O que se passa dentro das portas de casa, fica dentro dessas mesmas portas.
Eu, como fazendo porte dos outros, não irei ver novamente o programa pois nada posso fazer por aquelas pessoas. A SIC já tem audiências que chegue, também não precisa e mim. Para aprender a lidar com os meus, leio, procuro informação, recorro a profissionais em ambiente mais restrito e familiar, penso, reflito, tento, erro e relativizo.
E, 1000€, se é que foram mesmo, para que servem, no meio disto tudo?

Sem comentários:

Publicar um comentário